COMO FUNCIONA

Este blog foi criado num Domingo chuvoso daí www.domingoamigo.blogspot.com/!

Pensando em leitores que não se animam a manter um blog pessoalmente, e os bloggers, que desejosos de atingir outros leitores, além dos seus habituais, gostariam, vez por outra, de postar num blog COLETIVO, criamos a SOCIEDADE ANÔNIMA, onde você poderá postar, sempre que tiver vontade!

Para fazer parte dos AUTORES do blog basta escrever para: cimitan@terra.com.br, solicitando sua inclusão, como membro do SOCIEDADE ANÔNIMA. Mande seu nome, e endereço de e-mail, para ser registrado. Só não pode deixar de assinar seus posts! E será responsabilizado pelo seu conteúdo.

A gerência se reserva ao direito de excluir o participante cujo comportamento não for condizente com o do grupo.

26.3.13

Você é Água ou Terra? Pense Nisso.


Diante das conquistas ganhas e dos desafios a vencer, penso que as mulheres de hoje ainda têm as mesmas interrogações que suas antepassadas. Ser Água ou Terra? Fluir, seguir ou fixar, manter? 
O título do soneto abaixo, dado por sua autora, a poeta, escritora e dramaturga, Hilda Hilst, antecipa em suas, como disse Neruda ... quatorze tábuas, o conteúdo que desvenda o pensar mulher: um tratado de dúvidas e certezas solidamente presos ao sentimento e a razão. 
Saiba mais sobre o que digo, ao ler  Nelly Novaes de Coelho - ensaísta, crítica literária e professora, falar sobre o Sonetos Que Não São, no Portal Cultural Hilda HilstPorém se preferir, vá direto ao soneto.

"Em  metáforas quase transparentes, aí fala a mulher dividida entre o desejo de ser a “esposa” (presença estável, refúgio, proteção, mãe-geradora-de-vida  que prolonga o amado no tempo...) e o impulso apaixonado de ser a “outra” (a mobilidade da paixão, a Aventura existencial, a voragem do prazer, onde o eu como que explode em plenitude e por instantes o Momento se identifica com a Eternidade). Terra e água, os elementos primordiais da criação do mundo, são as metáforas que Hilda Hilst toma dos versos de Péricles Eugênio da Silva Ramos (um dos poetas mais representativos da Poesia-45 brasileira): “Aflição de ser terra /  Em meio às águas”. Glosando-as,  no soneto em questão, a poeta inverte os termos: sente-se “água em meio à terra”. Inversão significativa que, alguns anos depois, será desfeita, pois a poeta vai-se afirmar como “terra”.

Sonetos Que Não São - Hilda Hilst

"Aflição de ser eu e não ser outra.
Aflição de não ser, amor, aquela
Que muitas filhas te deu, casou donzela
E à noite se prepara e se adivinha
Objeto de amor, atenta e bela.

Aflição de não ser a grande ilha
Que te retém e não te desespera.
(A noite como fera se avizinha)

Aflição de ser água em meio à terra
E ter a face conturbada e móvel.
E a um só tempo múltipla e imóvel

Não saber se se ausenta ou se te espera.
Aflição de te amar, se te comove.
E sendo água, amor, querer ser terra."
Hilda Hilst 
Poeta, escritora e dramaturga, produziu uma vasta obra, por um período de quase cinquenta anos, recebendo por ela os prêmios mais importantes da Literatura e da Dramaturgia, como o Prêmio PEN Clube de São Paulo, pelo livro Sete Cantos do Poeta para o Anjo, e o Prêmio Anchieta pela peça O Verdugo.


Para Saber Mais:
Releituras 
InfoEscola

Nenhum comentário: