COMO FUNCIONA

Este blog foi criado num Domingo chuvoso daí www.domingoamigo.blogspot.com/!

Pensando em leitores que não se animam a manter um blog pessoalmente, e os bloggers, que desejosos de atingir outros leitores, além dos seus habituais, gostariam, vez por outra, de postar num blog COLETIVO, criamos a SOCIEDADE ANÔNIMA, onde você poderá postar, sempre que tiver vontade!

Para fazer parte dos AUTORES do blog basta escrever para: cimitan@terra.com.br, solicitando sua inclusão, como membro do SOCIEDADE ANÔNIMA. Mande seu nome, e endereço de e-mail, para ser registrado. Só não pode deixar de assinar seus posts! E será responsabilizado pelo seu conteúdo.

A gerência se reserva ao direito de excluir o participante cujo comportamento não for condizente com o do grupo.

23.10.12

Está Sem Rumo? Ouça Francisco!!!

O êxtase de São Francisco - Caravaggio
Hoje pensando no que postar, pensei na família de gatos que estamos alimentando, nas plantas, pessoas perdidas, caminhos embaralhados e me lembrei de São Francisco de Assis (1182-1226), e sua oração. 
Esta oração me tocou muito quando mais jovem. Não só pela música em si, e pela letra, que juntas condensam a beleza exuberante das coisas simples, mas também pela história de Francisco de Assis. O total abandono a riqueza, as conversões sociais a doce porém forte crítica ao viver por viver, me tocaram profundamente.  
Passado algum tempo, penso que viver é antes de tudo, servir. Servir ao outro; servir a vida; servir a si mesmo. Ser útil ao mundo. Francisco, nascido Giovanni, trás esta proposta: a segue e convida os outros, a segui-lá. Pois a vida é bela, e belo é tudo que nela 
Convido-o a ler e ouvir este pequeno mantra. Depois reflita e me diga se viver não é servir.

Oração de São FranciscoSenhor, fazei-me instrumento de vossa paz Onde houver ódio, que eu leve o amor Onde houver ofensa, que eu leve o perdão Onde houver discórdia, que eu leve a união Onde houver dúvida, que eu leve a fé Onde houver erro, que eu leve a verdade Onde houver desespero, que eu leve a esperança Onde houver tristeza, que eu leve a alegria Onde houver trevas, que eu leve a luz   Ó mestre, fazei que eu procure mais Consolar, que ser consolado Compreender, que ser compreendido Amar, que ser amado Pois é dando que se recebe É perdoando que se é perdoado E é morrendo que se vive para a vida eterna
Na voz de Maria Betânia, com lindas ilustrações do artista plástico Menote Cordeiro (neste artigo obras de Festival da Vida), pense mais um pouco nesta breve e maravilhosa aventura que é VIVER!

Até a próxima!
Fonte:

Nenhum comentário: