COMO FUNCIONA

Este blog foi criado num Domingo chuvoso daí www.domingoamigo.blogspot.com/!

Pensando em leitores que não se animam a manter um blog pessoalmente, e os bloggers, que desejosos de atingir outros leitores, além dos seus habituais, gostariam, vez por outra, de postar num blog COLETIVO, criamos a SOCIEDADE ANÔNIMA, onde você poderá postar, sempre que tiver vontade!

Para fazer parte dos AUTORES do blog basta escrever para: cimitan@terra.com.br, solicitando sua inclusão, como membro do SOCIEDADE ANÔNIMA. Mande seu nome, e endereço de e-mail, para ser registrado. Só não pode deixar de assinar seus posts! E será responsabilizado pelo seu conteúdo.

A gerência se reserva ao direito de excluir o participante cujo comportamento não for condizente com o do grupo.

25.7.11

Liberados para ameaçar jornalistas com surra

Senadores estão liberados para ameaçar jornalistas com surra

Doravante, qualquer senador que se sinta incomodado por alguma pergunta feita por jornalista pode adotar contra ele os seguintes procedimentos:
a) ameaçá-lo com uma surra, perguntando: "Você quer apanhar?"
b) tomar seu gravador;
c) apagar a memória do gravador e só depois devolvê-lo;
d) debochar do jornalista no twitter.
Foi o que fez o senador Roberto Requião (PMDB-PR) no último dia 26 de abril depois de ouvir do  jornalista Victor Boyadjian, da Rádio Bandeirantes, uma pergunta sobre sua aposentadoria como ex-governador de Estado no valor mensal de R$ 24 mil.
A Justiça, mais tarde, cancelou o direito de Requião à aposentadoria - bem como o de outros ex-governadores do Paraná.
O Sindicato dos Jornalistas do Distrito Federal pediu ao Senado a abertura de inquérito acusando Requião de quebra de decoro.
Parecer da advocacia do Senado entendeu que não houve quebra de decoro.
Assinado pelos advogados Fernando Cunha e Hugo Souto Kalil e endossado pelo advogado-geral Alberto Cascais, o parecer considerou que a reação de Requião foi adequada.
Um trecho do parecer: "O sindicato representante imputou ao senador representado (Roberto Requião) apenas os seguintes fatos: apropriação indevida de aparelho gravador utilizado pelo jornalista; ameaça de agressão física com o dizer "você quer apanhar?" e chacota pública do profissional na Internet, ao chamá-lo de "engraçadinho".
José Sarney, presidente do Senado, mandou arquivar o parecer e deu o caso por encerrado.
Que tal?

Siga o Blog do Noblat no twitter

Um comentário:

Anne Lieri disse...

Esse é o nosso país...lamentável!Bjs,