COMO FUNCIONA

Este blog foi criado num Domingo chuvoso daí www.domingoamigo.blogspot.com/!

Pensando em leitores que não se animam a manter um blog pessoalmente, e os bloggers, que desejosos de atingir outros leitores, além dos seus habituais, gostariam, vez por outra, de postar num blog COLETIVO, criamos a SOCIEDADE ANÔNIMA, onde você poderá postar, sempre que tiver vontade!

Para fazer parte dos AUTORES do blog basta escrever para: cimitan@terra.com.br, solicitando sua inclusão, como membro do SOCIEDADE ANÔNIMA. Mande seu nome, e endereço de e-mail, para ser registrado. Só não pode deixar de assinar seus posts! E será responsabilizado pelo seu conteúdo.

A gerência se reserva ao direito de excluir o participante cujo comportamento não for condizente com o do grupo.

19.4.11

O Mundo e o Brasil Precisam de Poesia SIM!

Como é difícil manter vivo os registros culturais de uma sociedade. Seja uma pintura, uma música, um poema, um filme, ou qualquer outra forma vitalícia de armazenar o que há de nativo de uma cultura. Nada mais parece ganhar aquele “status” de importância dos grandes clássicos que aprendemos ao longo da nossa educação. Na Literatura isso toma proporções inimagináveis, sobretudo no Brasil onde o número de bons leitores é um dos menores do mundo. Esse déficit no conhecimento literário, no entanto, vem sendo sutilmente sanado há alguns anos por grandes nomes da música nacional que, heroicamente tentam resgatar o que há de mais autentico na poesia do país. Entre tantos nomes, um em especial merece ser destacado, pelo tratato sócio-histórico e humanístico que tem dado para a Literatura e para a música do Brasil. Maria Bethânia é uma destas artistas, quiçá a única, que ao longo da sua carreira vem exaltando o que existe de mais nativo na cultura nacional, no repertório dos seus shows.

Como se sabe, recentemente Bethânia foi envolvida numa polêmica na qual girava em torno de um Blog, um microblog denominado “O Mundo Precisa de Poesia”, do qual ela postaria pequenos vídeos recitando poesias de grandes nomes da Literatura do Brasil e de Portugal. O embate desse assunto tinha como válvula propursora a obtenção de R$ 1,3 milhão pelo Ministéro da Cultura, para a criação de tal blog. Quando este valor foi divugado na internet, rapidamente várias pessoas de posicionaram contra a aprovação do projeto da cantora, baseado em vários argumentos: o valor era muito alto para a criação de um blog; a cantora estava se apropriando do dinheiro público pelo fato de ser uma pessoa famosa; ela deveria dar o exemplo de dignidade e não usar o dinheiro público para a criação de algo tão supérfluo; a ministra da cultura, irmã do então cantor Chico Buarque, tem sua parcela de culpa por favorecer Bethânia na aprovação do blog; e, o mais absurdo de todos os argumentos, poesia não é importante.

Depois desse mar de ignorância, inúmeras acepções podem ser formuladas em defesa do blog de Bethânia. Isto porque, no Brasil, a sociedade está acostumada a valorizar o que é supérfluo, inculto, ou seja, coisas desnecessárias e que muitas vezes não acrescentam nada de construtivo para a formação da intelectualidade humana. A mídia televisiva, por exemplo, introjeta nos seus telespectadores certos programas que não agregam nada de relevante para melhorar a sociedade brasileira. O Big Brother Brasil é um bom exemplo disso. Com quadros que beiram ao ridículo e participantes, na sua grande maioria acéfolos, esse programa tem mostrado que a decadência televisiva é um fenômeno em construção. Mesmo assim, a sociedade sabe votar a cada paredão, contribuindo para que algum participante que, em nada ajudará na melhoria da socieade, torne-se mais um milionário.

Ainda no campo da valorização do que é desnecessário, têm-se a copa do mundo que acontecerá aqui no Brasil em 2014. Até agora R$ 23 bilhões de reais foram disponnibilizados para a construção de novos estádios, melhorias na área de transporte público e tudo o que possa servir de suporte para acomodar os milhares de turistas que visitarão o país nesse período. Entretanto, essa mesma nação que gasta quantias exorbitantes para a copa, não tem dinheiro para investir na melhoria da educação de base, para aumentar os sários desumanos pagaos aos médicos, ou, no contexto em questão, proteger o que ainda restou da cultura nacional, seja na Literatura, música ou nas artes em geral.

O que falar então da internet. Ferramenta vital para o mundo globalizado, ela tem se tornado imprescindível na propagação de ideologia e apreensão de conhecimentos. No entanto, ela também virou uma arma nas mãos de pessoas extremistas, oportunistas e polêmicas que, a todo o momento se aproveitam de algum fato para alardear posicionamentos controversos e mal fundamentados. Isto foi o que aconteceu com a polêmica em torno do blog de Bethânia, pois muitos dos internautas que se posiconaram contra a criação desse blog nunca leram nenhum clássico literário, ou tão pouco sabem da importância da literatura para a construção sócio-política e cultural da sociedade brasileira.

Além disso, é mais que merecido que Bethânia seja a porta-voz desse projeto, uma vez que não é de hoje que ela contribui para a valorização, exaltação e divilgação do que há de mais rico, autentico e único da poesia musicalizada nacional. Assim, o governo dando apoio a esse projeto, não está só ajudando a manter viva a nossa cultura, mas também está investindo em outra instância carente no país, a educação. Ou seja, um povo que não é educado passa pelo crivo de não se enquadrar em uma determinada cultura, esta, a qual a Literatura foi uma das principais protagonistas. Portanto, argumentar contra a criação do blog de Bethânia é ir de encontro com a educação em sua acepção mais abrangente. É desconsiderar o papel exercido pela Literatura no curso da história. É ignorar o trabalho, muitas vezes mal remunerado, realizado por Maria Bethânia em cantar o Brasil como poucos artistas nacionais o fizeram. Por tudo isso, o país precisa SIM de poesia. Da mesma forma que o mundo também precisa de poesia e de artistas do cacife de Bethânia.

Um comentário:

Emoções disse...

A beleza existe em tudo - tanto no bem como no mal. Mas somente os artistas e poetas sabem encontrá-la.