COMO FUNCIONA

Este blog foi criado num Domingo chuvoso daí www.domingoamigo.blogspot.com/!

Pensando em leitores que não se animam a manter um blog pessoalmente, e os bloggers, que desejosos de atingir outros leitores, além dos seus habituais, gostariam, vez por outra, de postar num blog COLETIVO, criamos a SOCIEDADE ANÔNIMA, onde você poderá postar, sempre que tiver vontade!

Para fazer parte dos AUTORES do blog basta escrever para: cimitan@terra.com.br, solicitando sua inclusão, como membro do SOCIEDADE ANÔNIMA. Mande seu nome, e endereço de e-mail, para ser registrado. Só não pode deixar de assinar seus posts! E será responsabilizado pelo seu conteúdo.

A gerência se reserva ao direito de excluir o participante cujo comportamento não for condizente com o do grupo.

12.12.10

2010 O Ano dos Gays, O Ano da Homofobia


Está chegando o fim de ano e com ele as tradicionais festas do período. Diante de tantas confraternizações muitas vezes nos esquecemos de fazer uma reflexão de tudo o que aconteceu no cenário nacional. Não falo de uma retrospectiva abrangente, como aquela do programa pelo qual a Globo exibi os fatos marcantes do ano, mas sim uma retrospectiva delimitada, focando um entre os tantos problemas sociais que assolam o nosso país. Para ser mais claro, ressalto os dilemas, conquistas, revelações, agressões e toda uma gana de acontecimentos que envolveram a massa LGBTT (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e transex) durante este ano. Penso que é primordial fazer esse balanço, não apenas para exaltar a classe em questão, mas também para dar visibilidade aos problemas vividos por eles que, frequentemente são mascarados e/ou distorcidos pela sociedade.

Para inicio de conversa é necessário trazer à tona a visão retrógrada que o Brasil alimenta quando o assunto é homossexualidade. Mesmo sendo um país de evidente crescimento econômico e ricamente culturalizado, ele ainda não está capacitado a tratar de temas que envolvem a sexualidade alheia, pois ainda existe muita resistência em discutir racionalmente esse assunto. Tanto desconhecimento resultou nos atuais casos de violência na Av. Paulista, noticiados nacionalmente. Além disso, o Brasil é uma das poucas nações em desenvolvimento que não garantiram que direitos como o casamento e a adoção entre casais homossexuais saissem do papel. Enquanto a nação peca nesse aspecto, países como Argentina, dentre outros da América Latina que são inferiores economicamente ao Brasil, deram passos valiosissmos no que se refere aos direitos humanos, criando políticas igualitárias para os gays que viviam à margem da sociedade.

Não obstante, não se pode deixar de ressaltar a pitada cristã nos valores que permeiam a nossa cultura. Sempre falo desse pilar, pois acredito que ele rege as questões convencionais que ditam o que certo errado, cravando na cruz aqueles que não se enquadram nos padrões da Igreja. Essa manobra religiosa, na minha concepção, cria máquinas homofóbicas prontas para matar. Num país, onde boa parte da população está acostumada a propagar o discurso do outro sem racionalizá-lo, falar que a homossexualidade é algo medonho é a mesma atitude tacanha que levou milhões de pessoas para a morte na época da inquisição. Para exemplificar isso, há pouco tempo, o reitor da Universidade Mackenzi se pronunciou contra a aprovação do PLC122/2006, baseado em conceitos religiosos limitados e totalmente desconectados da realidade sócio-política-humanistica na qual a legislação brasileira deveria estar respaldada. Esse caso, nada isolado, só confirma a visão preconceituosa e distorcida de uma sociedade que quando fala em garantir direitos aos LGBTTS, prefere se apoiar em cânones obsoletos numa retomada hipócrita de uma moral que nunca existiu.

Entre tantos pontos negativos, não se pode deixar de mencionar os acontecimentos positivos que mexeram com as mentes dos LGBTTs. Um dos mais marcantes foi sem dúvidas a revelação de alguns famosos que viviam escondendo a sua sexualidade. Rick Martin, um dos maiores nomes da música pop mundial, revelou que era homossexual, mas por medo do preconceito que poderia sofrer, passou anos e anos sustentando aquela faixada de galã que o mundo todo conhecia. Não que tenha sido alguma surpresa para a comunidade gay a revelação dele, mas para muitas pessoas heteronormativas foi um choque imenso. O lado positivo disso foi mostrar para a sociedade que a homossexualidade está em todos os lugares e que qualquer pessoa pode ser gay, independente de classe social, raça ou etnia; mesmo sendo gay ela pode ter uma vida social, se casar, ter filhos e constituir familia. Outros famosos, como os cantores Tiziano Ferro e o Brasileiro Netinho também saíram do armário, contrinuindo para que as pessoas entendessem que a homossexualidade não pode ser vivida as escondidas, ele tem que ser mostrada, entendida e respeitada por todos.

O Brasil está tentando minimizar os problemas enfrentados pelos gays com ações preliminares que tentam garantir que a comunidade LGBTT, que paga imposto, trabalha, estuda e que tem famíla, tenham direitos iguais a quaisquer outros cidadãos que compõe essa nação. Entretanto, para que essa igualdade seja realmente efetivada, será preciso muitos anos de discussão, pois, como falado a pouco, nossa população não está acostumada a pensar sozinha, consequentemente, acatando opiniões taxativas e mal fundamentadas de pessoas que preferem segregar a incluir os individuos considerados “diferentes”.

O ano está acabando e com ele um arsenal de acontecimentos negativos mais do que positivos, fizeram parte da rotina dos homossexuais do Brasil. Agressões fisicas, discriminação, preconceito, intolerância, falta de respeito, desumanidade, falta de politicas públicas e todo um mar de homofobia constituiram o painel da realidade dos gays no país. Isso não é demagogia ou um discurso piégas clamando por justiça, é apenas um alerta de um modelo de sociedade que estamos perpetuando para as próximas gerações. Uma sociedade inescrupulosa, hipócrita e irracional que prefere cruxificar os gays ao invés de garantir que seus direitos sejam respeitados.

Vamos fazer com que os póximos anos sejam diferentes. E que venha 2011!

3 comentários:

Lengo D'Noronha disse...

Diogo, francamente não vejo assim tão homofóbica a nossa sociedade. Vejo que as transformações culturais estão se ampliando em ritmo maior que o retrocesso.
Acho que a televisão,esta grande formadora de opinião, contribuiu muito para a aceitação das diferentes formas da sexualidade.
Diferenças regionais neste enorme país são mais lentas para mudanças.
Mas este seu texto está muito bom e é um manifesto lúcido a se divulgar.
Abraço.

Diogo Didier disse...

Primeiramente, obrigado pelo elogio. Fico muito feliz em saber que outras pessoas, ao lerem o meu texto, compreendem a intencionalidade das minhas palavras.

Na posição em que você está é natural achar que a homofobia na nossa sociedade está diminuindo. Acredito que você seja hetero, estou certo? Perdoe a minha indiscrição, mas estou perguntando isso pois infelizmente a maioria dos heterossexuais não enxergam a problemática LGBTT como deveriam.

E isso, a priori, não é um defeito, uma vez que a sociedade é vítima de uma modelo de vida que acaba mascarando os reais problemas vividos pelas minorias.

Fiz esse texto para expandir o raciocinio das pessoas, para os problemas que assolam a comunidade gay. Os fatos mais marcantes, considerados por mim, foram descritos, mas muita coisa ainda aconteceu e infelizmente não houve visibilidade dos nossos meios midiáticos.

E sabe por quê? Simples! A mídia brasileira evita criar polêmicas com temas que mexem com os valores moralizados de uma nação que há tempos propaga um conceito de heteronormatividade do qual nunca fez parte das relações humanas.

Os acontecimentos da Av. Paulista só foram noticiados pois foram de extrema barbárie e não foi apenas um caso isolado. Por isso, para a mídia, foi interessante mostrar o que aconteceu com aqueles gays. E os acusados continuam em processo de punição, mas logo logo estarão livres, como bem sabemos.

Concordo com a divulgação do meu texto, não pro capricho pessoal, nem tão pouco por vaidade, mas para que mais e mais pessoas comecem a perceber que o dilema da comunidade gay do Brasil é real e precisa de um direcionamento legal no que tange a concretização dos direitos que são estabelecidos pela nossa constituição.

No mais, obrigado mais uma vez pelas críticas palavras e pelos elogios. Se tiver qualquer dúvida sobre o assunto, eu terei o maior prazer em esclarecer, tá bom?!

bjoxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

Mariana Vargas disse...

Verdade seja dita,
é fácil dizer que a sociedade
tem melhorado quanto à questão LGBTTS
quando se é hetero.
Uhul. Vamos perguntar pros caras que tão
apanhando no meio da rua de graça sem ninguém fazer nada!